OCI avança no Índice de Transparência Ativa

06 dez 2017

O relacionamento efetivo com os mais diversos públicos é um dos maiores desafios para as organizações. Como mensurar a percepção que os mesmos tem dela?

Em tempos de crises instantâneas de imagem, a criação de uma ferramenta para mensurar como a organização é percebida pela sociedade e parceiros, além de uma auditoria sobre suas práticas comunicacionais internas, é um passo fundamental.

Pensando nisso, o Observatório da Comunicação Institucional (OCI) está sediando um modelo inovador de avaliação, a ‘Auditoria Funcional da Comunicação para aferição do Índice de Transparência Ativa. O pré-lançamento da ferramenta que vem sendo desenvolvida pelo pesquisador Manoel Marcondes Neto desde 2013, aconteceu em maio deste ano durante o 20º. Congresso Mega Brasil de Comunicação, Inovação e Estratégias Corporativas, evento anual que acontece em São Paulo.

 

 

 Batizado ‘5R INDEX’, o novo indicador afere cinco instâncias que exercem influência na governança: o reconhecimento social, o relacionamento com públicos-chave, a relevância no mercado, a administração da reputação e a resiliência institucional.

‘Por meio de um aplicativo, avaliamos 210 quesitos operacionais das organizações, indo desde a imagem da marca, passando pelo relacionamento com as comunidades do entorno, participação em eventos, gestão do conhecimento e de crises de imagem publica, entre outros’, afirma Marcondes Neto.

Para obter o Índice de Transparência Ativa, o auditor irá fornecer ao aplicativo os achados de seus exames ‘in loco’, no chão da fábrica, no ponto de venda e junto à opinião pública – o que resultará num ‘score’ total para cada uma das 5 instâncias, sempre de 0 a 100. Se tal ‘score’ estiver entre 90 e 100 pontos, a empresa, órgão público ou entidade do terceiro setor receberá uma certificado de ‘organização transparente’emitido pelo OCI. Caso o ‘score’ de 90 não seja atingido, a organização receberá um relatório com sugestões para melhorias. 

‘Como tudo comunica, é fundamental fazer uma avaliação 360 graus, seguindo a classificação dos públicos proposta pela cofundadora do OCI, Lúcia Duarte: constitutivo, colaborativo, contributivo e referencial’, complementa Marcondes Neto.

O processo de desenvolvimento do ‘5R INDEX’ obedeceu a um rito científico que constou de três defesas técnicas perante bancas examinadoras e a realização de três ‘jobs’ experimentais em organizações reais – uma pública, uma privada e uma do terceiro setor. 

 ‘Este será um modelo que ajudará as organizações a mensurar o seu nível de satisfações públicas, ou seja, o seu nível de transparência nos negócios’, conclui o pesquisador.

 

Cobertura das duas primeiras defesas (da terceira, feita em Belo Horizonte, não há imagens disponíveis): 

São Paulo – https://www.youtube.com/watch?time_continue=6&v=ClB44p2fkt4

Texto: Isabela Pimentel 
*Jornalista, Historiadora e  Especialista em Comunicação Integrada

Imagem: Divulgação   /Eduardo Almeida Fotografia

Deixe um comentário

06/12/2017 Isabela Pimentel

Vamos juntos?