Como comunicar ciência e visualizar informação?

23 nov 2014

Ainda hoje a maior parte da Comunicação Científica continua restrita, principalmente quando realizada entre os próprios cientistas e materializada na forma de artigos, os quais se limitam a descrever (com linguagem extremamente técnica) novas metodologias e alguns resultados promissores.

Provavelmente,  isso ainda acontece por falta de prática e, por outro lado, certo preconceito gerado entre os próprios cientistas em relação a esse tipo de comunicação que busca atender (ou entreter) ao público não especializado. Graças ao crescimento exponencial do universo digital e das inovações tecnológicas, estão surgindo oportunidades a serem mais bem exploradas para ampliar e direcionar a Comunicação Científica, principalmente entre o público não especializado. O objetivo principal é difundir conhecimento e melhorar o debate de novos paradigmas, muitos deles criados pela própria ciência, sejam tecnológicos ou culturais.

Neste sentido,  foi criado o portal Science2share.org, cujo propósito maior é facilitar a divulgação da ciência e tecnologia. Ele  integra os benefícios da visualização da informação e a capilaridade das redes sociais, dois itens fundamentais para ampliar o acesso ao conhecimento e gerar debates sobre temas importantes para a humanidade ou mesmo para determinados grupos de pessoas.

Quando transformamos dados de pesquisas científicas, de mercado ou mesmo dados brutos disponíveis em arquivos públicos e  imagens,  facilitamos de maneira fisiológica a assimilação da informação, já que cerca de 50% do nosso cérebro está envolvido no processamento de imagens. Além disso, 70% dos nossos receptores sensoriais estão presentes nos olhos.

Na era da informação, diferenciar o modo como nos comunicamos ou apresentamos nossas ideias se tornou crítico, principalmente devido à sobrecarga de informação cada vez maior e períodos de atenção cada vez mais curtos. No Science2share.org,  você vai encontrar um ambiente útil, colaborativo e divertido, onde cientistas, empreendedores e instituições poderão divulgar ciência, tecnologia e inovação, interagindo com o público não especializado, para trocar ideias sobre pesquisas, obter insights para apresentações, aumentar as citações sobre seus trabalhos, ampliar o network, atuar com grupos de pesquisas e participar de eventos e congressos.

Durante as próximas décadas, espaços como esse talvez sejam uma ótima maneira de adquirir conhecimento e nutrir o interesse popular pela ciência e tecnologia, sempre por meio de fontes originais e relevantes.

Texto: João Fhilype, fundador do Science2share.org

Edição: Isabela Pimentel

Imagem: Getty Images

 

Deixe um comentário

23/11/2014 Isabela Pimentel

Vamos juntos?