Empreender com a melhor idade

19 jul 2018

O Brasil passa por uma fase de transição em seu perfil demográfico e diversas empresas tem aproveitado esse gancho para realizar projetos de nicho. Uma das iniciativas nesse sentido é o Conexão Melhor Idade.Conversamos, para essa reportagem da série #Comunicaqueintegra com Solange Villela, empreendedora à frente do projeto. Confira!

Comunicação Integrada: Como nasceu o projeto?

Solange:  O Conexão Melhor Idade nasceu do programa “Marketing de Gentileza” que contribuiu e me permitiu reavaliar a minha trajetória, e meu próprio entendimento do conceito de empresa. Ampliou a minha visão sobre o que é empreendedorismo, e me deu uma série de pensamentos inovadores sobre o marketing, criando novas oportunidades. Foi estimulante e renovador participar do programa e me experimentar no papel de empreendedora. Eu construí o projeto por meio da mentoria da Laíze Damasceno, autora do livro Marketing de Gentileza.

O Conexão Melhor Idade fez um ano e foi planejado por toda a minha experiência e trajetória profissional, por minhas próprias escolhas, e em um momento de transição de carreira. Seguir o caminho de trazer às pessoas de minha geração, e da geração 60+, todas as dificuldades do meio digital com o objetivo de aceitar e repensar as ações na terceira idade para atingir uma velhice mais independente e autônoma.

Comunicação Integrada:  Com qual missão?

 Solange:   Sinto que a minha missão é dar voz, e empoderamento, às pessoas que estão no período considerado da longevidade, e tem como preocupação a causa da Melhor Idade, a inclusão tecnológica, e conteúdos que possam melhorar a qualidade de vida, aumentar o respeito e o equilíbrio entre as gerações. Tem como propósito incentivar as pessoas a fazerem a diferença no mundo. E que devem, por isso mesmo, cobrar os seus direitos, além de cobrar políticas públicas que melhorem suas vidas neste sentido.

Comunicação Integrada:  Qual gap de mercado veio suprir?

Solange:   O mercado de trabalho vive hoje a era da cooperação e do compartilhamento. Pensando neste princípio da cooperação, a Melhor Idade pode e deve se apropriar deste tipo de trabalho. É na Melhor Idade que temos a carreira mais consolidada e mais maturidade, quando as ideias e colaborações são frutíferas, e os relacionamentos podem resultar em negociações mais produtivas. Tendemos a ouvir mais, a ter mais empatia e dar mais atenção, e produzimos mais enquanto sociedade e seres humanos porque somos mais experientes. Penso que o Conexão Melhor Idade cumpre o papel de cobrar por mais direitos e deveres, tanto da sociedade quanto de políticas públicas que acolham este segmento da população. Há muito o que fazer em termos de orientação.

Comunicação Integrada:  Como tem apoiado empreendedores?

Solange:   A cultura empreendedora ainda é muito recente no Brasil. Estamos alocados num grande centro empreendedor do país, e isso faz da nossa cidade um grande caldeirão de cultura, onde é possível inovar, pensar novos produtos e novas dinâmicas. A maior parte de nossos empreendedores têm entre 20 e 30 anos, e porque não ampliar esta faixa etária já que sabemos não ter vagas para todos que buscam trabalho. Entraves burocráticos impedem a ampliação desse movimento. Nos pequenos eventos do Conexão Melhor Idade apoiamos os pequenos empreendedores como gráficas, donos de restaurantes, proprietários de locação de espaço, e palestrantes por meio da divulgação do trabalho, das parcerias que fazemos. Penso que estas ações contribuem para que estes empreendedores continuem no mercado de trabalho, acreditando no seu potencial, melhorando sua autoestima e criando mecanismos para a prática do seu propósito de vida.

 Comunicação Integrada:   Como você analisa o mercado de comunicação de nicho hoje?

Solange:   Todos nós sabemos que o mercado de comunicação enxugou muito nestes últimos cinco anos, e hoje o profissional que está em área corporativa percebe que tudo é muito incerto. Ele tem que se preparar para inovar constantemente, ver novos horizontes, e se reinventar. E curiosamente percebo que há muito espaço para crescimento no mercado de comunicação de nicho da terceira idade. Fico realmente muito feliz ao verificar as inúmeras empresas criadas para atender a este mercado nos últimos três anos.  Há muito o que fazer , e quem trabalhar de forma árdua e contínua, com respeito e responsabilidade, vai obter muito sucesso.

 

Texto: Isabela Pimentel 
*Jornalista, Historiadora e  Especialista em Comunicação Integrada
Imagem: Divulgação 

 

Deixe um comentário

19/07/2018 Isabela Pimentel

Vamos juntos?