Uma comunicação, de fato, social: Observatório das Favelas

19 jul 2018

Muitas vezes, dos escritórios e consultorias, se esquece que a natureza da comunicação é ser social e promover transformações na vida das pessoas, não apenas de empresas. Um projeto super bacana que vem se consolidando no Rio de Janeiro é o Observatório de Favelas, criado em 2001 por um grupo de pesquisadores e profissionais oriundos de espaços populares.

A Comunicação Integrada conversou com Piê Garcia, Coordenadora de Comunicação do Observatório para conhecer de perto sua história e como tem atuado nos últimos anos, além dos projetos e desafios. Confira!

Comunicação Integrada: Como surgiu a ideia do observatório?

Observatório de Favelas: Surgiu em 2001 fundado por pesquisadores e profissionais oriundos de espaços populares, que a partir de suas próprias realidades de serem os poucos a estarem na universidade nos locais onde viviam. Assim, criaram o Observatório de Favelas com proposta de interferir nas políticas públicas voltadas para a periferia. Hoje, é uma organização da sociedade civil de pesquisa, consultoria e ação pública dedicada à produção do conhecimento e de proposições políticas sobre as favelas e fenômenos urbanos. Buscamos afirmar uma agenda de Direitos à Cidade, fundamentada na ressignificação das favelas. 

 

Comunicação Integrada: Quais os principais desafios que enfrenta hoje?

Observatório de Favelas:  Um dos principais desafios é a sustentabilidade. Trabalhamos em busca de editais, incentivos, patrocínios etc., para manter a organização funcionando. Outro desafio é pautar a favela através do paradigma da potência e não da estereotipada carência, ausência e violência que geralmente a grande mídia utiliza para retratar esses espaços.

 Comunicação Integrada: Como o observatório apoia a comunicação cidadã?

Observatório de Favelas:  As favelas, espaços populares e seus habitantes costumam ter representações marcadas pelo acúmulo histórico de processos de violência simbólica, os quais envolvem sua invisibilização, estigmatização, exotização ou combinações das alternativas anteriores.  O Observatório de Favelas busca criar e articular condições, formas e meios para uma comunicação que leve em conta a multiplicidade de demandas políticas, manifestações culturais e processos de produção subjetiva encontrados nos territórios populares. Com isto procuramos destacar a complexidade e riqueza presentes nestes espaços da cidade, tão unidimensionalmente representados, em diferentes contextos históricos. 
Nosso objetivo é intervir na disputa pela construção de novos imaginários sobre a cidade, contribuindo para ampliação dos repertórios de representação, por meio dos quais as favelas e espaços populares são concebidos em diferentes âmbitos da vida social.

 

Comunicação Integrada: qual principal projeto em curso hoje?

Observatório de Favelas:  O Observatório de Favelas tem muitos projetos acontecendo ao mesmo tempo em diversas áreas de atuação como Comunicação, Arte e Território e Produção de Conhecimento. Um dos mais importantes é o Galpão Bela Maré, que tem como objetivo contribuir para a democratização e difusão de todos o tipos de expressões artísticas. O Bela quer trabalhar em sintonia com o mundo contemporâneo, onde o campo artístico é um instrumento de desenvolvimento econômico, social e territorial, confirmando o papel da arte como central na ampliação das possibilidades existenciais de múltiplos grupos sociais.

Texto: Isabela Pimentel 
*Jornalista, Historiadora e  Especialista em Comunicação Integrada
Imagem: Divulgação 

Deixe um comentário

19/07/2018 Isabela Pimentel

Vamos juntos?